• Anissia

O ballet durante a gestação


Que a saúde da mulher grávida requer certos cuidados não existe dúvida alguma, mas sendo bailarina profissional ou não, muitos questionamentos surgem no meio da caminho. Como professora ballet adulto já tive essa experiência com uma das minhas alunas e fiz questão de convidá-la para participar desse post, contando pouco de sua experiência em uma breve entrevista. Além disso, vou dar algumas recomendações para as futuras mamães, então leia até o final! ;) Recentemente tive o prazer de presenciar todas fases da gravidez da Beatriz Corrêa, uma das minhas alunas no Espaço Dharma. Ela começou as aulas de ballet adulto em 2016 e em 2017 descobriu que estava grávida. Durante sua gestação ela continuou frequentando as aulas até o 8º mês e ainda participou de todos os ensaios de fim de ano! Logo abaixo ela conta um pouco de como foi essa experiência. Como foi quando descobriu que estava grávida? Achou que tivesse que parar o Ballet?! Resposta: No momento em que recebi a confirmação da gravidez, ao invés de pensar em como contar pro meu marido, pensei logo no ballet! (risos) E aí as dúvidas surgiram: será que vou poder continuar frequentando as aulas normalmente? E se a gravidez for de risco? E se eu sentir dores? E se eu tiver que parar?! E se... Foram muitos os questionamentos. E para obter as respostas, busquei orientação médica assim que comecei o pré-natal em março de 2017. Quais foram as primeiras orientações da médica? Resposta: Felizmente, fui autorizada pela obstetra a continuar dançando. Viva! A gestação seguia tranquila tanto para mim quanto para o bebê. Mas fui aconselhada pelas minhas professoras Anissia e Camille Sales a não saltar devido ao impacto. Fora isso, vida que segue! Executava todos os exercícios na barra e no centro, inclusive piruetas (toda torta, mas fazia). Nunca me vi como "café com leite" por causa da gravidez. Pelo contrário, me desafiava a fazer toda a sequência corretamente até o final. Quais foram suas principais dúvidas? Resposta: Minha maior dúvida era saber qual era o meu limite e reconhecer os avisos que o meu corpo dava, alertando até onde eu poderia ir. Tinha receio de exagerar e depois ter complicações. Digo isso porque sempre me cobrei muito no ballet, desde a execução de um "simples" tendu até aquela sequência frenética de grand battement! Como se sentia durante as aulas? Resposta: Revigorada!!! Mas só o fato de colocar a meia-calça já cansava (risos). Nos primeiros meses, não senti tanta diferença, afinal, a barriga ainda não pesava tanto. Com o passar do tempo, fui ficando exausta, claro. Só conseguia completar os exercícios com o pé no chão pra não sofrer na meia ponta. Durante as aulas, quando vinha a sessão de saltos, eu parava pra me alongar enquanto repunha as energias comendo uma fruta e bebendo suco. Se alimentar bem faz toda a diferença e é extremamente importante! Notou algum outro benefício que o Ballet te trouxe durante a gestação? Resposta: Disposição. Nada que fosse sobrenatural, mas percebi que fiquei mais disposta pra enfrentar os desafios de estar grávida com uma filha de 2 anos e ainda precisar lidar com as responsabilidades em casa, no trabalho e na faculdade. O ballet me serviu também como uma válvula de escape em meio a um turbilhão de coisas que estavam acontecendo. Era maravilhoso acordar cedo, preparar o coque, chegar na sala de aula, ouvir aquela música clássica e poder dançar. Um verdadeiro refrigério pra alma. Quais foram as principais dificuldades? Resposta: Dificuldades? Jamais! (risos) Além de ter que me adaptar à nova silhueta, tive muita dificuldade de reconhecer que não daria pra fazer determinado movimento como o souplesse devant, por exemplo. Eu achava que era capaz de tudo! Só que não. Em suma, o maior problema foi ter que respeitar os limites do meu corpo sem reclamar. Quais exercícios eram mais desafiadores nesse período? Resposta: Pirueta, sem dúvida! Sei que não tem nada haver com a gravidez, mas lanço aqui a pergunta: por que marcar cabeça é tão difícil, gente?! Não entendo.. (risos) E é óbvio que, além disso, a barriga tirou o eixo que eu nunca tive. Ou seja, desastre total! Sem falar no balance. A todo instante temos que acionar os músculos abdominais para nos mantermos alinhadas sem desequilibrarmos. Na gravidez, é bem difícil permanecer firme numa posição. Olhar para um ponto fixo sempre ajuda, no entanto, não é o suficiente pra se manter estável nessa fase. Quais eram os mais prazerosos? Resposta: Bom, sempre gostei de adagio, e na gravidez não foi diferente. Adoro a ideia de pensar nos músculos que estão sendo trabalhados, no quadril que deve estar bem encaixado, nos pés em en dehors, etc. Em todo movimento, seja ele lento ou não, me vem a mente o que minha professora Anissia diz: "Se está fácil é porque está errado". Haha. Como foi durante os ensaios para o fim de ano? Resposta: Ah, os ensaios... Nunca imaginei que fosse gostar tanto de ensaiar uma coreografia. Assim que a data do espetáculo foi divulgada, fui calcular as semanas pra ver com quantos meses eu estaria no dia da apresentação. Pois bem, estaria com 8 meses! Achei que não sobreviveria até lá, por isso logo pensei em desistir. Não digo que foi fácil, porque não foi! Porém o apoio que recebi da professora e das minhas amigas bailarinas, me deu todo o gás que precisava para aceitar o desafio de dançar. Eu ensaiava nas aulas, ia para casa e filmava a coreografia para ver o que estava errando e poder corrigir. Enfim, foi um período de muito investimento! Contudo, não cheguei a me apresentar. Um dia antes, no ensaio geral, fizemos a marcação de palco das duas coreografias que dançaríamos. Estava tudo normal até chegar em casa. Me sentei no sofá e comecei a ter uma série de contrações que me levaram à emergência da maternidade naquela noite. No consultório, ouvi aquilo que eu mais temia: "você não vai poder dançar". Me desmontei em lágrimas. O meu partner (o bebê) decidiu que eu não me apresentaria. Fazer o quê? Eu não colocaria a vida dele em risco. Apesar de tudo, digo que valeu super a pena participar dos ensaios, vestir o figurino e ser feliz no palco mesmo com a platéia vazia. Qual a sua recomendação para as futuras mamães bailarinas? Resposta: Dancem! Vibrem! E se divirtam! Não percam a oportunidade de frequentarem às aulas de ballet carregando consigo o seu bem mais precioso. E quem puder, participe do espetáculo de final de ano. Será uma experiência mágica e inesquecível. Ah! Não deixem de registrar o crescimento da barriga!!! Aproveitem pra tirar fotos antes e/ou depois das aulas. Essa é uma dica importante. No mais, sejam muito felizes bailando durante a gravidez! Logo abaixo um ensaio fotográfico com o tema ballet, que a Beatriz fez durante a gestação e tive o prazer de estar presente. Fotos: Beatriz Perrut

Se você também está passando por esse momento único, aqui vai algumas dicas preciosas! Dica 1: Durante a gravidez a mulher passa por uma série de mudanças. Logo no início é possível perceber que o corpo se torna mais maleável, para se preparar para o momento do parto. Os músculos e articulações ficam mais flexíveis e exercícios de alongamento se tornam ainda mais prazerosos, porém, todo cuidado é pouco. Então, não exagere nos alongamentos e fique sempre atenta aos sinais que o seu corpo transmite! Evite lesões! Dica 2: Fortaleça sua lombar! Uma das grandes reclamações durante a gravidez é a famosa dor na lombar, não apenas pelo peso da barriga, mas também por uma ligeira modificação na postura das mamães, que ficam ansiosas para mostrar sua barriga! Ela vai crescer, não se preocupe, mas se prepare para esse momento fazendo exercícios que fortaleçam a musculatura estabilizadora da coluna. Dica 3: Evite exercícios como pequenos e grandes saltos! Esses podem lhe causar desconforto e até mesmo possíveis lesões nas articulações, já que você estará um pouco mais pesada e suas articulações mais maleáveis. Dica 4: Se não se sente confortável executando giros, não faça! Algumas ficam bastante enjoadas, então se esse for o seu caso, evite! Dica 5: Para piruetas é necessário eixo, a barriga nesse caso irá atrapalhar um pouco. Então só faça se realmente se sentir segura para executar o movimento, caso contrário apenas faça uma marcação com relevé. Dica 6: Acima de tudo, sempre ouça seu médico e tenha bom senso durante as aulas. Não se exceda jamais! Se sentir qualquer desconforto durante a aula, pare imediatamente. Dica 7: Se hidrate durante a aula e se alimente bem. Qualquer anormalidade deverá ser relatada ao médico e se sua recomendação for repouso, escute-o (por mais que se sinta ótima)! Serão apenas alguns meses sem ballet e NADA nesse mundo será mais importante que preservar a sua saúde e a do seu filho! Espero que tenham gostado! Deixem comentários e compartilhem para quem se interessa pelo assunto! ;D :*

#gravidez #gestação #bebê #saúde #ballet #balletadulto #mamãebailarina #grávidas

0 visualização
  • Mov Lab Fanpage
  • Twitter Mov Lab
  • Instagram Mov Lab

O nome "Mov Lab" e seu logo são marcas registradas. CNPJ: 24.548.842/0001-40 
Rua Dias da Cruz, Méier, Rio de Janeiro, RJ - 20720-011

Copyright © Mov Lab - Todos os direitos reservados
contato@movlabstore.com - PROCON/RJ